Casamento precoce

Neire Ferreira da Cunha tem 23 anos,  é mãe de dois filhos,  mora na comunidade Icuriã, localizada no município de Assis Brasil. Para ela as meninas engravidam cedo por falta de orientação. Tudo que ela aprendeu sobre prevenção foi na escola ou pela televisão, até mesmo com novelas. Em casa, com a família, nunca conversou sobre isso.

Neire casou com 14 anos, seu marido tinha 23 anos. Para ela não é errado ou estranho casar com essa idade, foi proceso natural.  “Meu marido sempre me respeitou, nunca me forçou a nada. Trabalhamos juntos no roçado e em casa”, afirma.

Após a união, ela abandonou os estudos. O acesso à escola é difícil, são três horas de caminhada. “Eu tinha que acordar muito cedo para deixar tudo pronto para ele ir trabalhar e ainda tinha que caminhar até a escola. Não dava tempo de ir para aula”.

Mesmo sem ter diálogo com os pais, ela afirma que não teve uma educação muito rígida, mas sua mãe e tias tiveram. “Meu avô era bem antigo, para ele mulher só podia ficar dentro de casa. Quando eu e minhas primas falamos de fazer faculdade, dizia que era errado”.

Como mãe, Neire quer um futuro diferente para os filhos, ela deseja que eles estudem e façam faculdade, sigam o sonho que ela não seguiu.